terça-feira, 26 de agosto de 2008

A Idolatria e Nós


Conhecemos a idolatria apenas na sua maneira mais usual, hoje, porém, vos convido a sondar os refolhos das nossas almas a fim de descobrirmos outro tipo de idolatria da qual somos assíduos praticantes.

Vícios, más paixões, defeitos oriundos do egoísmo e do orgulho todos nós possuímos e cientes estamos da necessidade de combatê-los.

Mas até que ponto nós realmente queremos nos livrarmos desses vícios milenares que nos acompanham?

Até que ponto queremos abdicar da ociosidade que nos é prazerosa? Até que ponto queremos nos ver livres do orgulho e da vaidade que tanto nos alegra? E do egoísmo que nos faz mais felizes com o que podemos gozar?

Possuir más virtudes inevitavelmente nos leva a quedas e sofrimentos, mas devemos ser sinceros com nós mesmos, pois muitas vezes as más paixões que dizemos não desejar, na verdade muito nos agrada, às vezes nos fazemos idólatras dessas más virtudes que ilusoriamente nos fazem felizes e das quais não conseguimos nos desvencilhar.

O estudo sincero das mazelas morais resultantes da posse das más virtudes é o remédio eficaz contra o nosso deturpado senso de afinidade com estas.

Que Jesus possa aos poucos nos iluminar, para aos poucos compreendermos quais são os verdadeiros valores, aos quais somos pouco afeitos.

Tenshi

19/08/08

Um comentário:

Juli disse...

Bom dia! Reflexiva msg. Um convite à mudanças. Deixo aqui um convite, venha conhecer o NEU* - http://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1942253
saudações fraternais,
Juli Lima