terça-feira, 14 de junho de 2011

Compromisso com o Espiritismo Consolador


"Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade! Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo do que tiverem esperado. Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: "Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!" Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão! Clamarão: "Graça! graça!" O Senhor, porém, lhes dirá: "Como implorais graças, vós que não tivestes piedade dos vossos irmãos e que vos negastes a estender-lhes as mãos, que esmagastes o fraco, em vez de o amparardes? Como suplicais graças, vós que buscastes a vossa recompensa nos gozos da Terra e na satisfação do vosso orgulho? Já recebestes a vossa recompensa, tal qual a quisestes. Nada mais vos cabe pedir; as recompensas celestes são para os que não tenham buscado as recompensas da Terra." O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XX, item 5.

"Queridos irmãos de ideal espírita, usando desse meio apto a divulgação célere e cabível, peço-lhes a vênia para tratar dos assuntos concernentes aos nossos compromissos para com a Santa Doutrina do Consolador Prometido.

Tanto nós, espíritos espíritas, quanto os espíritas reencarnados, fomos agraciados com a oportunidade de servir a Jesus junto a Seara Espírita que revive o Seu Evangelho de Redenção e Paz, fomos avalizados por entidades maiores que apostaram na nossa reencarnação ou então, no serviço que ocupamos no Mais Além.

Soldados rasos que somos, cabe a nós tão somente exercermos, sobretudo, o bem incondicionalmente, não questionando tanto o comportamento alheio, não se quebrando em raciocínios mil a cerca do por que ou do nâo por que de tal conduta por parte do próximo, mormente aquele companheiro espírita outro.

A nossa parte, como servos e amigos de Jesus, é a de construir, construir vivendo o Evangelho não só na boca, mas sim nas atitudes, no dia a dia, no lar, no trabalho, no grupo social a que pertencemos.

Respondamos às investidas das trevas e as tentativas de corrupção do Cristianismo Redivivo - que sem dúvida existem - com a nossa conduta diferente. Sejamos bravos e destemidos no modo de vida reta, digna e cristã, à semelhança daquele que fora o Baluarte da Vivência Espírita Cristã e que hoje continua seu trabalho, do mais alto, olhando por nós na condição de "cisco de Deus" que sempre foi.

Não consintamos com o mal, tampouco sejamos coniventes com aquilo que foge ao exemplificado por Jesus à luz da Doutrina Espírita, mas respondamos a estas com a nossa conduta, com o nosso ato de viver fiel ao Cristo e a Doutrina, que, com certeza, se desdobra na produção mediúnica de Chico Xavier.

Não creiamos que - no que pese as nossas imperfeições e condição de espíritos imperfeitos ainda em busca da redenção - nossa pequena parte seja tão insignificante a ponto de ser completamente dispensável, não! "Vós sóis o sal da Terra", exortou Jesus, não exigindo angelitude espontânea, mas querendo dizer que podemos sim, com boa vontade, sinceridade e observância dos compromissos, nos fazermos consideráveis instrumentos da obra cristã junto à Humanidade.

Esses três itens - reconhecendo que não somos ainda portadores de verdadeiras virtudes - são nossos maiores tesouros! Não deixemos o orgulho, a vaidade e os interesses materiais fazerem com que percamos mais essa oportunidade reencarnatória, lutemos, sim, contra nós mesmos, perseveremos, sim, na vivência cristã!

E que Jesus nos abençoe."

Tenshi;

Areado, 14/06/2011

Nenhum comentário: