terça-feira, 5 de julho de 2011

Fênomenos Paranormais


"Paranormal", segundo o dicionário, significa "fenômeno psiquíco que não é normal", ou seja, algo além do normal, acima do normal, que excede às leis da natureza, leis da física e da química basicamente.

Jesus, por exemplo, quando andou sobre as águas contrariou, foi além, da lei física (natural/normal) da gravidade. Ou seja, efetuou um fenômeno paranormal, dentre os vários que Ele fez.

Ao longo dos séculos muitas foram as personalidades, conhecidas ou não, que efetuaram tais fenômenos, tidos, quase sempre, como milagres. Curas, visões, predições, aparições angelicais, etc, permeiam a história da humanidade.

Ditado por um anjo, Maomé escreve o Corão; Buda, ao ver um vaso correndo na direção oposta ao fluxo de um rio, descobre, por inspiração do Alto, o "caminho do meio"; os Vedas indianos estão cheios de menções às interferências espirituais junto a humanidade; na bíblia, em I Samuel 28:7-25, o rei Saul vai até uma pitonisa (paranormal) de modo que ela "receba" o espírito de Samuel, então dialogando com ele; nos Atos dos Apóstolos, os discípulos de Jesus falam em várias línguas, por eles desconhecidas, de modo a levar os ensinos do Evangelho a estrangeiros que os ouviam em praça pública.

Tais fenômenos, estudados pela Parapsicologia (ou Metapsiquíca), tem sua origem nos potenciais da alma humana, na mente humana, visto que a mente é a expressão da alma(ou espírito). No entanto, a Parapsicologia peca por desconsiderar a interferência de mentes extracorpóreas na produção de muitos destes fenômenos.

Allan Kardec, pioneiramente, em O Livro dos Médiuns, faz aprofundado estudo da paranormalidade, que nada mais é do que a mediunidade. Kardec demonstra, após análises e estudos, como os desencarnados (espíritos) agem em coautoria, ou não, na produção dos fenômenos ditos paranormais.

Em A Gênese, o Codificador da Doutrina Espírita faz sério estudo sobre os milagres, concluindo que milagres não existem, isto é, a paranormalidade não existe, o que existe são leis naturais até então ocultas ao conhecimento humano. De paranormal, ou seja, de "fora do natural, além do normal" - pensamento que nos levaria, até mesmo, a crer em coisas mágicas - nada existe, o que existe sim é a nossa ignorância em desconhecer todas as leis naturais que regem a vida.

Muita pretensão humana crer que por muito conhecer de física e química, a natureza não nos esconderia fenômenos novos e minúcias outras destas mesmas leis, sendo que, por ignorância, chamamos tais fenômenos de paranormal, de sobrenatural...

Escreve Allan Kardec em seu livro A Gênese:

"Os fatos que o Evangelho relata e que foram até hoje considerados milagrosos pertencem, na sua maioria, à ordem dos fenômenos psíquicos, isto é, dos que têm como causa primária as faculdades e os atributos da alma. Confrontando-os com os que ficaram descritos e explicados no capítulo precedente, reconhecer-se-á sem dificuldade que há entre eles identidade de causa e de efeito. A História registra outros análogos, em todos os tempos e no seio de todos os povos, pela razão de que, desde que há almas encarnadas e desencarnadas, os mesmos efeitos forçosamente se produziram. Pode-se, é certo, contestar, no que concerne a este ponto, a veracidade da História; mas, hoje, eles se produzem às nossas vistas e, por assim dizer, à vontade e por indivíduos que nada têm de excepcionais. O só fato da reprodução de um fenômeno, em condições idênticas, basta para provar que ele é possível e se acha submetido a uma lei, não sendo, portanto, miraculoso."

O Espiritismo vem, então, como ciência explicar fenômenos tidos como milagrosos, paranormais, ou sobrenaturais, fazendo-nos entender que nada de espantoso eles têm e muito menos de atemorizantes.

Adentrar, no entanto, na explicação detalhada de alguns desses fenômenos mediúnicos é assunto para outro artigo.

Entendamos, todavia, que o ser humano começa agora a conhecer os potenciais da alma humana, cabendo ao cientista do futuro vasculhar esse terreno vasto que é a psiquê humana, terreno este que sem dúvida ganhou mais nitidez após as luzes da Doutrina Espírita lhe descortinar as névoas do mistério que antes o envolvia por completo.

Obs: para os interessados no assunto, recomendamos a leitura dos livros "O Livro dos Espíritos", "O Livro dos Médiuns" e "A Gênese", todos de Allan Kardec, além de "Nos Domínios da Mediunidade" e "Mecanismos da Mediunidade", de Chico Xavier pelo espírito André Luiz.


Nenhum comentário: