terça-feira, 2 de agosto de 2011

Saúde do Corpo e do Espírito

Em comparado ao antigo entendimento médico, hoje bem mais se compreende a relação entre a saúde do corpo e a saúde do espírito, cuja manifestação se efetua pela mente e suas realizações.

A questão das doenças psicossomáticas hoje é pacificamente aceita pela medicina que - após o comum materialismo que imperava, no Ocidente, em meados do século XIX -, passou por substancial evolução no século XX, até que nas últimas décadas deste, começou a se interessar pela saúde mental/espiritual da criatura que, atualmente, inclusive, compõe o critério utilizado pela Organização Mundial da Saúde para designar a saúde no ser humano.

O Espiritismo - que em muitos pontos se adianta às descobertas da ciência convencional - já tratava dessa ligação entre saúde espiritual e corporal, quando no "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec, os Espíritos Superiores ensinavam que o "corpo (e as características pessoais de indivíduo para indivíduo) era o reflexo do espírito"; e em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", disserta-se sobre os cuidados com o corpo e com a alma.

Entretanto, a humanidade ainda começa a caminhada para entender a ligação-reflexa existente entre espírito(mente) e corpo.

Sendo o espírito, com seu corpo espiritual (ou perispírito) o modelo primordial para a incidência ou não deste ou daquele gene e para a correspondente aglutinação celular, tem-se que os males ditos congênitos nada mais são do que reflexo da bagagem espiritual do indivíduo, que torna um gene recessivo ou não, conforme as necessidades da criatura.

Ao longo da vida, a saúde espiritual - ou seja, o equilíbrio, a serenidade, a esperança, a fé, a alegria de viver; todas frutos da paz interior - é fator importante para o fortalecimento de leocócitos (glóbulos brancos) e plaquetas, cuja produção e sadia divisão estão, também, subordinadas aos comandos mentais (manifestação do espírito), que podem produzir, por sua vez, energias salutares ou dissociativas que influenciam na produção destas e também no funcionamento geral das demais células, que são estruturas sensíveis a estas energias magnéticas.

Os citados sentimentos (que não deixam de ser, ao mesmo tempo, pensamentos) são responsáveis em manter o equilíbrio do organismo, evitando, com efeito, disfunções gástricas, nervosas, circulatórias, epiteliais e cardíacas que podem também ser desencadeadas ou agravadas por uma mente em desalinho, que dá vazão ao ódio, a raiva, a maledicência, a excessivas preocupações, a inveja e ao ciúme.

Diante do exposto, facilmente chega-se à conclusão de que o Evangelho de Jesus é a receita certa para a saúde espiritual de todos nós.

Com Jesus, isto é, vivendo Jesus em nossos atos, pensamentos e atitudes, encontramos a paz interior, base das virtudes responsáveis pela saúde da alma, saúde esta que, como seres imortais, é a verdadeira e, consequentemente, deve ser a mais desejada.

Tenshi;

Areado, 01/08/2011


2 comentários:

rosaluz disse...

obrigada wladimir...agradeço a visita...
o seu blog está excelente...muitas informações preciosas..
um lindo fim de semana
beijuuu
cris

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

excelente matéria amigo. o mundo seria melhor se o homem se enxergasse mais atrelado ao espírito, aos valores espirituais, do que pensar que apenas há uma vida e acabou.

teríamos um mundo mais humano, com certeza.

abraços!